Imagem daqui 
Desde que fui diagnosticada – em Junho de 2006 – e durante um ano, procurei, pesquisei, pedi informações a todos os que eu pensava que me poderiam ajudar. Ouvi muitas opiniões.

Desde o uso de AINE’S, medicamentos biológicos, tratamentos alternativos como a fitoterapia, acupunctura, massagem, fisioterapia.

Tentei quase tudo. Algumas terapias ajudavam, é certo, no alívio de alguma dor. Mas, só de alguma dor… Com o tempo, nenhum dos tratamentos fazia efeito. As crises aumentavam em número e intensidade. E, o mais grave – o meu organismo já não aguentava mais a cortisona nem os AINE’s (anti-inflamatórios não esteróides).

Desenvolvi uma gastrite, o meu intestino ficou irritável… mas as dores, essas, só pioravam. Cessei a toma da cortisona e diminui a toma dos AINE’s. Afinal, as dores mantinham-se e só estava a agravar o meu estado de saúde em geral! Expliquei tudo isto à minha médica reumatologista, que concordou. Mudado os medicamentos, pensei que – agora – tudo iria melhorar.

Enganei-me. Então, desisti. Passava semanas deitada. Não conseguia sair da cama, porque as dores eram cada vez piores – e, claro, quanto mais tempo deitada, sem fazer os exercícios físicos obrigatórios, mais fortes eram as dores.Um Ciclo Vicioso estava montado: as dores levam à imobilização, que por sua vez, aumenta a dor que não permite o movimento.